Faltam profissionais para cuidar de crianças e idosos no Canadá




POR MARCIO ROLLEMBERG
Babás e assistentes de idosos e portadores de necessidades especiais nunca foram tão disputados no Canadá como agora. Depois que o governo canadense anunciou no final do ano passado mudanças que facilitam aos trabalhadores estrangeiros desse setor atuarem em outras áreas, houve uma queda no número de profissionais ligados à tarefa de cuidar dos mais necessitados.
Antes da nova medida, os estrangeiros contratados legalmente para trabalhar no Canadá cuidando de crianças e adultos tinham que esperar por uma aprovação inicial na aplicação para residente permanente antes de se qualificar para a permissão de trabalho aberta (que permite ao indivíduo atuar em qualquer área), o que acrescentava cerca de 18 meses a mais na espera. Agora, o aplicante só precisa ter no mínimo dois anos ou 3.900 horas de prestação de serviço na função em território canadense para adquirir o benefício.
Só no final do ano passado, mais de 14 mil permissões de trabalho abertas foram dadas a babás que atingiram o tempo mínimo de serviço exigido. Desde então, as regras para a contratação de novos profissionais estrangeiros se tornaram mais exigentes, o que fez com que houvesse uma diminuição no número de aplicantes.
A família canadense que decide contratar alguém que mora fora do país é agora responsável por todas as despesas do profissional, envolvendo passagem aérea do país de origem até o Canadá, seguros de saúde e contra acidentes de trabalho, além de qualquer valor destinado à contratação.
“É um valor muito alto para ficar responsável por uma pessoa e correr o risco dela pedir demissão em pouco tempo”, se queixa a professora Rebeca Wolfson. A assistente que cuidava de sua mãe idosa recebeu uma proposta de uma vizinha para ganhar praticamente o dobro. “Era uma pessoa maravilhosa, mas eu não podia cobrir a oferta. Ela inclusive propôs ficar trabalhando até eu encontrar alguém para substituí-la, mas quem? Está difícil achar alguém em que eu confie”, diz ela.
Segundo Ian Minton, um dos proprietários da agência de empregos Execu-Nannies em Toronto, diversas famílias não estão dispostas a correrem o risco de contratar um profissional do exterior porque não possuem nenhuma garantia quanto à duração do serviço. “Além de todo o investimento financeiro e o fato de não conhecer o profissional pessoalmente, existe também o tempo que leva para trazer alguém de fora para cá, algo que varia de três meses até dois anos. Não há garantia de que a babá não vá deixar o seu patrão por um trabalho com menor carga horária e em uma localização melhor”, confessa ele.
Quem mora longe dos grandes centros, como Toronto e Vancouver, tem menos chance de manter o empregado. “O número de empregos nesse setor é praticamente duas vezes maior que a quantidade de profissionais. Por isso é importante que pessoas que moram fora dessas cidades ofereçam aos seus empregados bons salários e incentivos como férias mais prolongadas, por exemplo, evitando a concorrência”, sugere Minton. Segundo ele, uma babá em Toronto ganha de $1400 a $2100 por mês. Antes da escassez desses profissionais, o salário pago girava em torno de $1100 a $1300 mensais.

Escassez de babás se agrava com permissão de trabalho aberta

De acordo com o Departamento de Imigração e Cidadania do Canadá, houve um redução significativa no número de residentes temporários que entram no país através do programa Live-in Caregiver (formado por profissionais que cuidam de pessoas e moram com as mesmas). Em 2007, 13.773 pessoas vieram ao Canadá nessa categoria, enquanto em 2010 foram apenas 8.394 delas.
A filipina Raja de la Vega foi um dos indivíduos que viajaram ao Canadá com o intuito de trabalhar como babá, mas depois de três anos cuidando de crianças decidiu aplicar para permissão de trabalho aberta para exercer a função de massagista, enquanto aguarda o resultado do seu processo de residência permanente. “Vim para o Canadá para ficar e realizar um sonho, o que não quer dizer que eu tenha que trabalhar para sempre como babá. Já trabalhei o tempo mínimo que exigem, agora tenho o direito de fazer o que eu gosto”, ressalta ela.
O governo canadense decidiu permitir a aplicação de permissão de trabalho aberta para trabalhadores estrangeiros contratados legalmente nesse setor depois de uma série de denúncias de abusos contra babás e outros profissionais da área. Diversos deles eram tratados como serventes e tinham o  passaporte retido pelo patrão, que exigia uma longa carga horária e pagava salário com valor abaixo do permitido.
foto: ed and eddie

Artigo extraido do Blog 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ola Amigos, deixe aqui seu comentario